sábado, 4 de novembro de 2017

Em 4 anos, governo do Egito prendeu mais de 250 homens por serem homossexuais


Resultado de imagem para bandeira gay sangrandoAssim como na Rússia e na Indonésia, a comunidade LGBT tem sido fortemente perseguida no Egito, vendo seus direitos serem cassados e, pior, sua sexualidade criminalizada. 


Em 4 anos, o governo egípcio prendeu mais de 250 homens por serem homossexuais. De acordo com a ativista Dalia Abdelhamid, da ONG Iniciativa Egípcia para os Direitos Pessoais, desde 2013 a segurança do país foi reforçada a fim de caçar gays, vasculhando nas redes sociais publicações suspeitas e até mesmo fazendo-se passar por gays marcando encontro através de aplicativos de relacionamentos. 

Ainda segundo Abdelhamid contou à agência Efe, entre 2013 e março de 2017 foram presos pelo menos 232 pessoas com orientação sexual contrária à heterossexualidade. Já entre abril e setembro deste ano, a ONG registrou, pelo menos, outras 57 detenções, totalizando 289 detidos. 

À reportagem da Efe, alguns jovens homossexuais, que não quiseram revelar suas identidades por medo de represália do governo, contaram que desde que a perseguição começou, eles têm tomado medidas de precaução, o que inclui esconder suas sexualidades e, inclusive, evitar marcar encontros com outros homens. Eles também ressaltam que pararam de frequentar "lugares gays". 

Para a ativista, a situação piorou depois da chegada ao poder do presidente Abdelfatah al Sisi, que tomou o controle do país em julho de 2013, através de um golpe de estado. 

Dalia reforça a utilização da mídia controlada pelo governo para reforçar a mensagem de discriminação à diversidade. Ainda, segundo conta, a polícia estimula a sociedade a posicionarem-se contrárias à comunidade LGBT prezando pelos valores da família e religiosos.

Professor de matemática "saradão" bomba na web após seu passado como ator pornô vir à tona

Se você tem algum passado há esconder, não tenha dúvidas que, mais cedo ou mais tarde, graças ao advento das redes sociais, ele vai acabar "surgindo" na internet.
Foi assim com o professor de matemática da Universidade La Sapienza, em Roma, Ruggero Freddi, que viu seu passado como ator pornô gay ser trazido à tona, graças à curiosidade dos seus estudantes. Tudo começou quando o professor publicou em seu perfil nas redes sociais um vídeo praticando exercícios, o que deixou os alunos instigados com a musculatura e boa forma do docente.
Ao site italiano "Republica", Freddi disse que não ficou chateado com a invasão dos seus alunos e sabia que, uma hora ou outra, eles iriam acabar descobrindo. "Alguns alunos divulgaram a foto em alguns sites e, a partir daí, minha vida como ator pornô virou notícia. Para ser sincero, nunca foi um segredo", afirmou.
Freddi revelou que seu passado como ator pornô foi ocasionado pela falta de oportunidades. Inicialmente, ele pretendia trabalhar com engenharia, mas sem oferta na área, surgiu o convite de uma produtora norte-americana, e ele topou.
"Me ofereceram para fazer um filme nos EUA. Pensei: 'Por que não?', um trabalho que me ajuda a ganhar mais e é uma carreira mais divertida", contou. Ruggero atuou na indústria de filmes adultos até 2013, quando regressou à Itália, obteve mestrado em matemática e passou a exercer a profissão de professor. Atualmente, ele vive com seu parceiro, Gustavo Alejandro, com quem mantém relacionamento há 11 anos.
Na indústria pornô, ele era conhecido como Carlo Mais, e interpretava um fisiculturista de sexo hard, na produtora Colt Studios, da Califórnia. Felizmente, seu passado não trouxe problemas à sua atual profissão.
Veja fotos de Freddi abaixo:


Jovem gay é agredido com pedrada no rosto ao abraçar namorado e delegado se recusa a fazer B.O


Jovem gay é agredido com pedrada no rosto ao abraçar namorado e delegado se recusa a fazer B.OA intolerância e ódio às minorias sociais no Brasil cresce a cada dia. Amparados pelos descaso da lei e a 'vista grossa' da justiça, os fascistas estão pondo a cada dia mais sua cara pra fora das tocas onde estavam escondidos. 


Recentemente, um jovem universitário foi vítima de uma agressão homofóbica, enquanto esperava ônibus, abraçado ao namorado, dentro do campus da Universidade Federal do Piauí. O crime aconteceu na manhã do sábado, 28. 

Josivan Nascimento, de 23 anos, foi atingido com uma pedra lançada por um outro rapaz e que atingiu seu rosto. Após o ocorrido, a vítima não conseguiu fazer boletim de ocorrência por recusa do delegado. 

Ao jornal "O Dia", Josivan contou que "ele [o agressor] ficou com um amigo do lado, para que ninguém fizesse nada com ele, e sem falar nada. Na hora que a PM chegou, ele se levantou e começou a dizer que eu tinha batido nele", relatou. Entretanto, segundo o universitário, outras pessoas que estavam no local na hora do acontecido presenciaram o ocorrido e afirmaram aos policiais que Josivan não tinha agredido o rapaz homofóbico. Mesmo assim, os policiais se recusaram a tratar o caso como LGBTfobia. 

"A forma como os policiais distorceram a história em favor desse rapaz foi incrível! Mas eu tenho muitas testemunhas e tenho como provar tudo o que eu falei", afirmou o universitário. 

O delegado de plantão responsável pelo caso disse que, ao ouvir a versão dos policiais, em seguida ouvir Josivan chegou a conclusão que não abriria B.O, já que o acusado também iria alegar que havia sido agredido. O delegado ignorou completamente as testemunhas da vítima que afirmaram a inocência do universitário. 

À reportagem, Josivan disse que pretende levar o caso adiante, e que espera punição ao seu agressor. O universitário disse ainda que desconhece a natureza do crime, mas acredita ter sido vítima de homofobia, uma vez que, no momento da agressão sem propósito ele estava abraçado ao namorado. 

Travesti é morta a tiros por cliente após fazer programa em João Pessoa

Travesti é morta a tiros por cliente após fazer programa em João Pessoa
Mais uma vida de travesti foi brutalmente tirada no sábado 21, no centro de João Pessoa, capital da Paraíba. De acordo com informações da polícia militar, a travesti foi morta por um cliente após fazer um programa. A cena foi assistida por outras travestis que estavam no local, e acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). 


O crime aconteceu na Rua Monsenhor Sabino Coelho, centro da capital, por volta das 21h (horário local). As testemunhas contaram à polícia que a vítima desceu do carro e em seguida começou a correr, quando foi baleada pelo motorista, que ainda não teve a identidade revelada. A vítima chegou a caminhar até o cruzamento com a Rua Desembargador José Peregrino, mas caiu em seguida, onde faleceu, antes da chegada do SAMU. 



A polícia solicitou câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais que existem no local para tentar identificar o suspeito. 

MENTIRA: Pabllo Vittar não apresentará programa para 'Criança Viada' na Globo

A imagem pode conter: textoPrincipal artista pop do país na atualidade e ícone LGBT, Pabllo Vittar tem sido, nos últimos meses, alvo de inúmeras mentiras espalhadas nas redes sociais por religiosos e conservadores, envolvendo seu nome com assuntos relacionados às questões de gênero e público infantil.
Recentemente, surgiu no Facebook a notícia de uma suposta "turnê nacional" que a drag queen faria ao lado do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) para ensinar "ideologia de gênero" nas escolas públicas de todo o país. Por conta desse fake news, um vereador de uma cidade do interior do Paraná ameaçou prender a artista.
Agora, circula em grupos de WhatsApp uma nova notícia afirmando que "Pabllo Vittar irá apresentar programa para crianças trans e homossexuais na Globo em 2018". A informação, obviamente, é falsa.
"O programa 'Pabllo Kids', com exibição em todo o Brasil, será uma versão atual do antigo 'Xou da Xuxa' e terá adaptações para integrar melhor a ideia da Ideologia de Gênero", diz trecho da mensagem. "Terá brincadeiras com temas sexuais, danças sensuais infantis e um quadro chamado 'Criança Viada', que irá apresentar ao público infantil temas como diversidade, homossexualismo, relações sexuais homoafetivas e o principal: Mostrar para as crianças que ninguém nasce homem ou mulher, e que cada um pode escolher seu sexo", continua.
Nas redes sociais, a "novidade" virou piada entre os internautas pelo tom surreal da mensagem. Até o momento, tanto a Globo quanto Pabllo Vittar não se manifestaram sobre o assunto.
APRESENTADORA
A ideia de criar uma mentira estapafúrdia como essas deve ter surgido após confirmação de que, a partir de 2018, Pabllo Vittar apresentará um programa no canal pago Multishow, pertencente ao grupo Globo. A informação já foi confirmada pelo próprio canal, mas até o momento maiores informações não foram dadas sobre o formato da atração.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

13ª PARADA GAY DE ILHÉUS CANCELADA

As polemicas e criticas sobre a Parada Gay de Ilhéus vem acontecendo desde as suas realizações ( 2005, 2006, 2007, 2008,2009,2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 ) temos refletido nossas ações de campanha de DST e AIDS e a necessidade de inovação das politicas públicas da população homossexual da região sul da Bahia.

Este ano não estaremos celebrando o Dia Municipal do Orgulho Gay em Ilhéus, oportunistas prometem realizar a sua 2ª Parada da Diversidade LGBT este ano.
Dia
nte das ocorrências de furtos, tiros e violências registradas em outras edições, nós do Grupo EROS refletimos em retirar o mega trio elétrico da avenida soares Lopes, tendo em vista a necessidade de melhorar e inovar as próximas Parada Gay de Ilhéus.

Diante das diversas criticas populares em nossa cidade é que nos reportamos ao público justificando assim a saída imediata de trios e a participação de bandas na Parada Gay com o intuito de contribuir para com a diminuição dos assaltos, violência e tiros durante a realização do evento.

O Projeto piloto de nossa autoria e registrado e reconhecido a nível Nacional, Estadual e Municipal precisamos alinhar o evento junto aos organismos do Governo e do Controle social para que possamos juntos celebrar verdadeiramente e oficialmente a 13ª Parada Gay de Ilhéus com ética, respeito e segurança para todos amigos, colegas simpatizantes e militantes do movimento Gay da cidade de Ilhéus e demais regiões.

Att;

Waltécio Costa

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Em gravações, Joesley Batista obriga funcionário a sair com mulher e fala sobre sexo gay

Em gravações, Joesley Batista obriga funcionário a sair com mulher e fala sobre sexo gay
Os últimos acontecimentos políticos no país foram abalados pelos áudios gravados pelo empresário dono do grupo J&F, Joesley Batista, e entregues à Procuradoria Geral da República, como parte do acordo de delação premiada fechada com o Ministério Público Federal. 

Agora, em meio às possibilidades de cancelamento do acordo por suspeição de obstrução de justiça, causado por novos áudios entregues à PGR, que teriam sido omitidos em um primeiro momento, o jornal Estado de S.Paulo divulgou parte dessas gravações, onde Joesley fala sobre sexo gay e vontade de trair sua esposa. 

Em conversa gravada com o executivo Ricardo Saud, Batista comenta que desafiou um funcionário a sair com uma mulher ou ele ia "fazer o serviço". Em certo momento, o empresário afirma que já arrumou "um viado para dar para quem precisa". 

Joesley diz ainda que "anda invocado" para "comer uma velha por aí". "Acho que vou comer umas duas velhinas de 50. Casadinhas", afirma. Batista é casado com a apresentadora Ticiana Vilas Boas.

Prefeitura de SP abre inscrições para casamento gay coletivo; veja como se inscrever

Prefeitura de SP abre inscrições para casamento gay coletivo; veja como se inscreverA Secretária Municipal de Direitos Humanos da prefeitura de São Paulo abriu inscrições para homossexuais que desejam oficializar sua união em uma cerimônia coletiva, prevista para acontecer no dia 26 de novembro.
O evento faz parte da campanha "São Paulo com ReSPeito", e pretende, por meio dessa ação, promover o respeito e a igualdade à diversidade sexual.
"O casamento igualitário é um direito já reconhecido e, neste sentido, o poder público tem papel fundamental para democratizar, dar visibilidade e dialogar com a população", afirmou Eloisa Arruda, secretária de Direitos Humanos e Cidadania da capital.
As inscrições vão até o dia 11 de outubro e pode ser realizada em qualquer um dos quatro centros de cidadania LGBT espalhados pela cidade, conforme endereço abaixo:
Centro de Cidadania LGBT Arouche - Rua do Arouche, 23 - 4º andar - República Tel: (11)3106-8780 Atendimento de segunda à sexta, das 9h às 19h.
Centro de Cidadania LGBT Laura Vermont - Av. Nordestina, 496 - São Miguel Paulista Tel: (11) 2033-1156 / (11) 2031-1784 Atendimento: segunda a sexta, 9h às 19h.
Centro de Cidadania LGBT Luana Barbosa dos Reis - Rua Pasqui, 186 - Parada Inglesa Tel: (11) 2924-5225 / (11) 2894-2957
Centro de Cidadania LGBT Zona Sul - Rua São Benedito, 408 - Santo Amaro (11) 5523-0413 / (11)5523-2772 Segunda a sexta, das 9h às 19h
A ação conta com o apoio de instituições como a OAB Jabaquara, Defensoria Pública, Club Homs (onde será feita a celebração), entre outros.